Blog Biossegurança | Cristófoli

Blog Biossegurança | Cristófoli

Blog Biossegurança | Cristófoli

Apresentação da Empresa Fundada em 1991, a Cristófoli Equipamentos de Biossegurança é empresa líder em vendas de autoclaves de mesa no mercado nacional, já fabricou mais de 240 mil autoclaves para o Brasil e para mais de 30 países para onde exporta parte de sua produção. Os equipamentos fabricados pela Cristófoli são altamente funcionais, combinando tecnologia, design e sistemas diferenciados para atender cada vez melhor os seus clientes. Administrada pela família Cristófoli, tem sua sede na Rodovia BR-158, nº 127, em Campo Mourão, Paraná, Brasil. Fabricante e importadora de produtos para a saúde, a empresa tem vários diferenciais que a fazem uma das melhores do Brasil. Visão Ser referência mundial na área de saúde por crescer com criatividade, lucratividade e respeito às pessoas. Missão "Desenvolver soluções inovadoras para proteger a vida e promover a saúde". Histórico A Cristófoli se destaca por sua criatividade e inovação que há mais de 20 anos ajuda a construir a nossa história com invenções e produtos revolucionários para proteger a vida e promover a saúde. Certificações A conquista de um certificado é a aprovação para um sistema de gestão baseado em normas internacionais. É uma moderna ferramenta de administração e marketing que atesta a eficiência da empresa em determinada área para seus acionistas, clientes e mercado. Entretanto, para que uma empresa possa ser certificada, primeiramente um sistema de gestão deve ser implantado. Um sistema de gestão normatizado é a ferramenta mais moderna que existe para administrar informações, processos e pessoas envolvidas com uma ou mais atividades da empresa visando aumentar efetivamente sua eficiência. Clique nos certificados para visualizá-los. CERTIFICAÇÃO ISO 13485:2004 TUV MINISTÉRIO DA SAÚDE: AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DA EMPRESA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO MOURÃO: ALVARÁ DE LICENÇA LICENÇA SANITÁRIA E DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ: LICENÇA DE OPERAÇÃO CERTIFICADO DE REGISTRO ANVISA - EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO CERTIFICADO DE REGISTRO ANVISA - EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO - 10363350016 CERTIFICADO DE REGISTRO ANVISA - AUTOCLAVES CERTIFICADO DE REGISTRO ANVISA - CUBA DE ULTRASSOM Fundação Educere A Fundação Educere é um Centro de Pesquisas e Desenvolvimento na área de biotecnologia, cujo foco principal é a incubação de empresas a partir de um projeto social inovador que atua na formação de jovens com potencial empreendedor. A instituição fornece suporte para o desenvolvimento de novos negócios voltados para a difusão e transferência de tecnologia na área biomédica, e é referência em pesquisa e desenvolvimento de produtos inovadores e que agregam valor tecnológico, que estão presentes em todo o território nacional e em diversos países da América, Ásia e Europa. Visão Tornar Campo Mourão referência em pesquisa e desenvolvimento de produtos de saúde. Missão Descobrir e potencializar novos talentos para desenvolver um mundo melhor.

Portaria do Ministério do Trabalho e Emprego – Reforça as ações de prevenção.

Conheça o texto na íntegra:

Prevenção de Acidentes legislação MTE

Algumas sugestões básicas  de PREVENÇÃO- antes do acidente…

1-Vacine-se contra Hepatite B- realize Anti-HBs para verificar imunidade

2- Para reencapar agulhas de anestesia odontológica use o sistema de pesca., ou utilize dispositivos para re-encape.

3- Distribua coletores de pérfuro-cortantes próximos aos locais de geração desses resíduos.

4- Instale os coletores de pérfuro-cortantes em suportes, escolha um local protegido e que a pessoa (verifique com o profissional com a menor estatura) que fará o descarte visualize o interior.

5- Treinamento- palestras- educativas, dinâmicas, conversas. Capacitação é fundamental!

Acidente e agora?

Acidentes de trabalho com material biológico

Exposição a sangue e outros materiais biológicos potencialmente contaminados com o HIV e/ou os vírus das hepatites B e C em profissionais da saúde são considerados EMERGÊNCIA MÉDICA.

Muitos casos são negligenciados em virtude de desconhecimento e da aparente pouca gravidade do ferimento,

É importante ressaltar que para se obter maior eficácia, as medidas  profiláticas para evitar a infecção pelo HIV e hepatite B necessitam ser iniciadas logo após a ocorrência do acidente. O ideal é iniciar – quando indicado- em até duas horas a profilaxia.


1- Primeiros Cuidados
:- Imediatamente depois da ocorrência do acidente


a) 
 Em exposições percutâneas ou cutâneas ( pele íntegra, não íntegra ou quando há perfuração da pele) lavar a região com água e sabão abundante. Pode ser neutro ou anti-séptico.

b) Em caso de exposição em mucosas ( oral ou ocular), lavar com água em abundância ou soro fisiológico.

O QUE NÃO FAZER:

Utilizar soluções desinfetantes/esterilizantes ou irritantes como éter, hipoclorito de sódio, glutaraldeído SÃO CONTRA-INDICADOS. Não  esfregue, friccione, esprema ou sugue a região, nem aumente a área exposta. Não utilize escovas, ou esponjas.

2- Busque atendimento imediatamente- ( Procure ter um protocolo escrito com o local mais próximo de você – confirme por telefone antes de sair )

No seu atendimento, serão avaliados:

Tipo de exposição que ocorreu e material biológico envolvido

Avaliação de informações epidemiológicas, clínicas e sorológicas do paciente-fonte (você também deve estar preparado para fazer a abordagem- ele não é obrigado a acompanhar o acidentado, nem obrigado a permitir a coleta de exames), quando conhecido. A demora dos resultados dos testes sorológicos não deve ser motivo para atraso do inicio das medidas profiláticas. Para exposições envolvendo paciente-fonte desconhecido (material no lixo, etc…), serão analisados dados epidemiológicos para se avaliar a possibilidade de infecção quanto a HBV, HCV, HIV. Seringas ou agulhas descartadas não devem ser testadas para avaliação de contaminação viral.

Sua avaliação (trabalhador de saúde acidentado) – será investigada a história clínica e epidemiológica para estas infecções veiculadas pelo sangue (HIV, HBV, HCV) e também a imunidade relacionada à infecção pelo vírus da hepatite B (p.ex. vacinação prévia, esquema de vacinação utilizado, determinação de resposta vacinal).

Será decidido se estarão indicados:

Medidas de prevenção pós-exposição para hepatite B – vacina e gamaglobulina hiperimune

Medidas de prevenção pós-exposição para HIV – medicamentos anti-retrovirais

Acompanhamento clínico e epidemiológico para HIV, HBV ou HCV

É bom lembrar que até o momento, não há  nenhuma medida profilática possível de ser instituída para hepatite C . Os trabalhadores da saúde potencialmente expostos ao vírus da hepatite C deverão ser acompanhados clinica e laboratorialmente. No caso do trabalhador vir a se contaminar (infecção ocupacional pelo HCV), pode vir a ser indicado o tratamento precoce da infecção.
As profilaxias pós-exposição  reduzem o risco, mas não são totalmente eficazes. Assim sendo , a prevenção da exposição ao sangue ou a outros materiais biológicos é a principal e mais eficaz medida para evitar a transmissão do HIV e dos vírus da hepatite B e C. Ações educativas permanentes e medidas de proteção individual e coletiva são fundamentais.

( modificado do texto elaborado pela coordenação do www.riscobiologico.org)

 

Liliana Junqueira de P.Donatelli

 

 

Autor

Bióloga, Mestre em Saúde Coletiva, Coordenadora do Projeto Biossegurança em Odontologia, e mais recentemente do Projeto Biossegurança Beauty& Body Art, ambos patrocinados pela Cristófoli. Já ministrou mais de 500 palestras sobre o tema Biossegurança em Saúde e participa ativamente de entidades dedicadas ao Controle de Infecção em Saúde e Interesse à Saúde. É consultora em Biossegurança em Saúde da Cristófoli.