Você já tinha pensado nisso ao prescrever a sua receita?

É comum um paciente fazer um procedimento médico ou odontológico em uma cidade ou mesmo em um estado que não é o da sua residência. E, no retorno tentar comprar o medicamento e não conseguir. Isso porque as receitas de medicamentos não tinham validade em outro estado da emissão. A Lei 13.732 acabou com esse problema! É uma evolução necessária em tempos de grande moblidade. A medida vai facilitar a vida dos pacientes.

O texto sancionado pelo presidente da república Michel Temer modifica a Lei nº 5.991, de 17 de dezembro de 1973, que aborda o tema do Controle Sanitário do Comércio de Drogas, Medicamentos, Insumos Farmacêuticos e Correlatos.

A lei entrará em vigor 90 dias após a sanção. A medida também será válida, inclusive, para os medicamentos que são sujeitos ao controle sanitário especial.

O que poderia ser ainda melhor?

O que falta agora é ser obrigatório que as receitas sejam  impressas ou escritas com caligrafia totalmente legíveis. Mais interessante ainda seria  desenvolver um aplicativo da seguinte forma: o médico ou o cirurgião-dentista faz uma prescrição eletrônica assinada  e autenticada digitalmente, o paciente já pede, paga pelo próprio aplicativo e recebe em casa. Tudo de bom né? Fica a ideia para os nerds de plantão.

Acredito que não esteja tão longe de acontecer.

Liliana Junqueira de P. Donatelli

Autor

Bióloga, Mestre em Saúde Coletiva, Coordenadora do Projeto Biossegurança em Odontologia, e mais recentemente do Projeto Biossegurança Beauty& Body Art, ambos patrocinados pela Cristófoli. Já ministrou mais de 500 palestras sobre o tema Biossegurança em Saúde e participa ativamente de entidades dedicadas ao Controle de Infecção em Saúde e Interesse à Saúde. É consultora em Biossegurança em Saúde da Cristófoli.

Deixe uma resposta