Você já ouviu falar sobre Perda Auditiva Induzida por Ruído Ocupacional PAIR-O?

A definição de PAIR-O é:  perda auditiva de evolução  lenta e progressiva, por exposição ocupacional a ruído intenso, contínuo ou intermitente, e que apresenta características específicas.

O que é um ruído? Qual é a diferença entre ruído e som?

O ruído é um som, ou conjunto de sons desarmônicos, produzidos por vibrações irregulares. Podemos também pensar, subjetivamente, que o som define sensações acústicas prazerosas enquanto o ruído descreve as desagradáveis.

Os ruídos que podem ser prejudiciais ao nosso sistema auditivo são os de maior intensidade.

Um ruído é considerado intenso quando for medido acima de 85dB(A) já a exposição é considerada prolongada quando for  acima de 8 horas a essa intensidade.

Afinal não estamos todos expostos a ruídos?

O ruído entra nas nossas vidas desde a mais tenra idade. É só imaginar os brinquedos infantis  com música, buzina e alarme. Os ruídos vão nos acompanhar para sempre como, por exemplo, nas tarefas diárias como secar o cabelo e bater um suco no liquidificador. Barulhos nos perseguem também no trabalho do mais humilde aos mais bem remunerados. Da betoneira à bolsa de valores. Assim como no lazer andando de moto ou nos shows de rock.

Embora os ruídos sejam frequentes um dos fatores protetores é o descanso auditivo. Veja alguns exemplos  de ruídos da minha casa:

 

Secador de cabelo ………………………………………………………………….. 106 dB

O meu liquidificador…………………………………………………………………93 dB

Sozinha vendo TV……………………………………………………………………..45 a 55 dB

Quando estou sozinha trabalhando no computador…………………..34 dB

Os limites máximos permitidos pela NR15

Observe que as leis europeias são mais rigorosas. Outro dado interessante é que o nível de ruído não é uma unidade de medida que funciona linearmente. Para cada 2 decibéis o nível máximo de exposição permitido cai pela metade (nas tabelas mais rigorosas, na NR15 é a cada 3 dB).

Nível ruído

dB

Máxima exposição diária permissível

 

85 8 h.
88 4 h.
91 2 h.
94 1 h.
97 30 min.
100 15 min.
103 7 min. e 30 seg.
106 3 min. e 45 seg.
109 1 min. e 52 seg.
112 56 seg.
115 ou mais Nada!
Limites de Tolerância (LT) para ruído  contínuo  ou intermitente  (NR 15)  Brasil

 

Quais são as características da PAIR-O?

É uma erda auditiva bilateral com período assintomático (às vezes anos).  Por esse motivo os trabalhadores expostos a níveis de ruído capazes de produzir a perda devem realizar a audiometria com uma certa frequência. Usualmente quem determina isso é o médico do trabalho. É importante para fazer uma detecção precoce (na fase assintomática) e caprichar na prevenção.

Fase sintomática:

  • Dificuldade na discriminação da fala;
  • Dificuldade para localizar fontes sonoras;
  • Zumbidos;
  • Diminuição da acuidade auditiva para sons agudos.

Evolução progressiva para surdez!

Como pode ser diagnosticada uma PAIR-O?

Por meio de uma audiometria realizada com repouso acústico prévio de pelo menos 14 horas.

  • A perda é bilateral, com curvas audiométricas simétricas;
  • Início em torno de 4.000Hz;
  • Perda neurossensorial (afeta as células do órgão de Corti);
  • Trabalhadores com histórico de exposição crônica a ruídos;
  • Irreversível;
  • Não evolui se a exposição for interrompida.

A PAIR-O e a Odontologia

Será que esse é um risco físico para profissionais da Odontologia?

Certamente um consultório odontológico pode ser bastante barulhento. Canetas de alta rotação, compressor, telefone entre outros equipamentos ligados durante os procedimentos. Cuidar dos níveis de ruído também faz part das medidas de Biossegurança.

Para que você tenha uma ideia do nível de ruído baixo um programa para medir a intensidade de som do ambiente.

No iPhone eu uso o SPLnFFT.

Não são totalmente precisos, mas objetivo é só fazer uma análise geral e detectar as fontes mais importantes.

Com esse aplicativo você também pode avaliar as medidas corretivas se foram adequadas. O uso de protetores auriculares, como todo EPI, só deve ser implementado como um último recurso. Isto é, caso seja necessário e não tenha sido possível eliminar ou minimizar a intensidade de ruído a um nível aceitável.

No caso de odontologia, um dos métodos mais eficazes é instalar o compressor fora da sala de atendimento clínico e utilizar um isolamento acústico. Ajuda muito comprar um modelo que seja mais silencioso.

Em relação às peças de mão, as elétricas são mais silenciosas e vibram menos, mas ainda é uma opção mais onerosa.

O aplicativo com decibelímetro pode ajudar você a fazer escolhas, mas cabe a você tomar as decisões que colaborem na prevenção da PAIR-O. É um investimento a longo prazo na sua qualidade de vida.

Liliana Junqueira de P. Donatelli

Para saber mais sobre PAIR-O

Saúde do Trabalhador MS – PAIR

Autor

Bióloga, Mestre em Saúde Coletiva, Coordenadora do Projeto Biossegurança em Odontologia, e mais recentemente do Projeto Biossegurança Beauty& Body Art, ambos patrocinados pela Cristófoli. Já ministrou mais de 500 palestras sobre o tema Biossegurança em Saúde e participa ativamente de entidades dedicadas ao Controle de Infecção em Saúde e Interesse à Saúde. É consultora em Biossegurança em Saúde da Cristófoli.

Deixe uma resposta