73 Responses

  1. Viviane pereira b
    Viviane pereira b at |

    Bom dia. Como podemos realizar o teste para verificação do tempo de validade dos materiais esterilizados? Temos referência bibiliografica para esses testes? Obrigada Viviane

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Viviane
      Os testes não são muito simples para serem realizados. Usualmente esteriliza-se as várias cargas e são guardados os pacotes ( no local e com a embalagem que se pretende validar, com a carga equivalente) por um determinado tempo T2. No inicio ( T=0) toma-se uma amostra e envia-se para laboratório para teste de esterilidade. Depois, no segundo tempo T2- o dobro para o qual se pretende validar, envia-se novamente para teste de esterilidade. Retornando negativo o tempo estabelecido fica T2/2 .
      Esse protocolo ouvi em uma aula do MBA, não tenho uma bibliografia escrita, mas já ouvi de outras enfermeiras de CME, o mesmo protocolo. Vou ver se acho alguma bibliografia escrita com maiores detalhes para referenciar para você.
      Liliana

      Reply
  2. Claudiane Tavares
    Claudiane Tavares at |

    O tempo de validade dos artigos da instituição que trabalho, considerados matériais críticos, passamos a realizar a troca do grau cirúrgico para embalagem de SMS e utilizar a segunda cobertura de filme melhorando a confiabilidade do produto até seu uso, onde passamos a validade dos artigos de 30 dias para 6 meses e artigos Semi-criticos de 7 dias pra 30 dias através do monitoramento que realizamos por 6 meses, com intuito de avaliar como indicador principal a quantidade de embalagem Violada pois o mesmo passou a ser o principal critério de avaliação do aumento do tempo de artigos esterelizados. Considerando, quanto mais a existência de embalagem violada mais riscos os artigos poderia apresentar caso permanecesse o tempo de validade prolongado e com isso realizamos como rotina a registrar todos os eventos relacionados que comprometem a integridade da embalagem levando o aumento do custo do reprocessamento. A partir desse estudo atualmente mantemos o tempo de validade dos artigos citado no texto a cima, devido não termos como risco um aumento de embalagem violade significativa para risco e não podemos esquecer a importância do cumprimento de todos os critérios de segurança que a Anvisa determina sobre boas práticas de processo onde tivemos uma grande diminuição no custo relacionado a materiais com vencimento. Espero ter ajudado com a minha experiência pois acredito que não exista um tempo definido e sim o controle dos riscos diário para assegurar o tempo de vida útil do artigo.

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Claudiane
      Muito obrigada por compartilhar a sua experiência.Entretanto, O que a ANVISA coloca é que cada instituição deve validar o tempo de validade (manutenção da esterilidade dos materiais) de acordo com as condições de seu armazenamento. Para isso precisam ser feitos testes de esterilidade com o pacote íntegro.Traduzindo, não sei se perante a ANVISA, essa abordagem será suficiente para validar o prazo de armazenamento.

      O interessante é que você mostrou que vale à pena estudar para diminuir custos. Você mostrou que na sua instituição valeu à pena trocar o tipo de embalagem, que isso implicava em menor perda de integridade do pacote. Internacionalmente, há vários países que consideram somente a integridade de pacote como parâmetro, e então a validade máxima com o pacote íntegro é a validade da embalagem de esterilização (isto é a fornecida pelo fabricante da embalagem – SMS, Papel grau cirúrgico).
      Atenciosamente,
      Liliana

      Reply
  3. Itamara Lucia Itagiba Neves
    Itamara Lucia Itagiba Neves at |

    Embalagem de instrumentais em papel grau cirúrgico, duplo quando contiver instrumentos pontiagudos, guardados em ambiente isento de umidade e temperatura inferior a 25° C, em armário com portas e pcotws pouco manuseados, até 6 meses.

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Itamara
      Esses prazos devem ser validados em cada instituição.

      Reply
  4. Emilly
    Emilly at |

    Estou fazendo um trabalho de conclusão de curso sobre a CME. Gostaria de saber se a esterilização no grau cirúrgico tem a mesma validade de 7 dias (uma semana)

    Reply
  5. César Zanotto
    César Zanotto at |

    Bom dia!
    Estou realizando uma pesquisa do meu trabalho de conclusão de curso sobre esse tema. Estou acompanhando há 6 meses amostras no ambiente dos acadêmicos de odontologia de minha universidade, até agora os resultados mostraram-se imprecisos mas com uma validade bem maior que essas do ministério da saúde. Utilizo grau cirúrgico selado com fita e com seladoras além do papel crepado. Encontrei pouca coisa na literatura especificamente desse tema, alguma sugestão para que eu possa procurar?
    Obrigado!

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      A Dra Kazuko Graziano orientou uma dissertação sobre esse tema (da validade de esterilização). Pode ser um começo. Tem também o guia do CDC que pode ser usado para procurar. Com certeza seu orientador ou a bibliotecária da sua universidade pode ensinar você a fazer uma busca em biblioteca pelo tema. É um dos objetivos do TCC>
      abraços
      Liliana

      Reply
  6. Daniel
    Daniel at |

    Bom dia o que vc pode me comentar sobre os PP para embalar os materiais . plástico propileno , onde já encontrei em muitas clínicas odontológicas

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Daniel
      Uma prática comum, mas incorreta.EU também ja vi muitas e muitas vezes e já fui questionada outras tantas… Antes de mais nada toda embalagem para esterilização descartável precisa de registro no Ministério da Saúde para essa finalidade. Não é só receber a aprovação com o testes químico e biológico, existem testes que são realizados pelos fabricantes com normas específicas que não tempos como fazer nos consultórios. A monitorização química e biológica deve ser realizada em equipamentos e com embalagens e com instrumentos fabricados para as respectivas finalidades. Isso previne não só contra o risco biológico (contaminação de n=microrganismos), ams também contra contaminação química, e a re-contaminação após a esterilização (propriedade de barreira da embalagem)
      É uma infração sanitária…
      Abraços
      Liliana

      Reply
  7. Marcela
    Marcela at |

    Boa noite!
    Podem ser usadas etiquetas no.material que será esterilizado para melhor identificação?não sendo as fitas adesivas.
    Se sim, que tipo de material pode ser a etiqueta?

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Marcela
      Caso você use papel grau cirurgião, a melhor opção é usar caneta atóxica na aba que sobra da embalagem, na parte plástica. A minha sugestão é da marca Sharpie que declara ser atóxica. ë o mesmo preço das outras mas nem sempre é fácil de encontrar de primeira. Uma idéia é comprar via internet.Existem etiquetadoras próprias para CME (central de materiais e esterilização), mas já são produtos mais caros e geralmente direcionados para hospitais. Dependendo de como você coloca a etiqueta pode prejudicar o pacote. E de novo, tem a questão da tinta caso não seja específica.
      Espero ter ajudado você

      Reply
  8. Eliane Ribeiro
    Eliane Ribeiro at |

    Boa noite Liliana. Gostaria de saber um pouco mais sobre as normas de prazo de esterilização por autoclave, método úmido. Qual o prazo de validade da esterilização? A legislação mais recente é a RDC15?
    Obrigada, Eliane

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Eliane
      O prazo de validade para artigos esterilizados, como eu abordei no post, ainda é bem controverso. Para hospitais a RDC 15 é a que vale, para odontologia sempre fica uma dúvida do que a vigilância vai solicitar. Em geral 7 dias. Embora existam dados na literatura que permitam nos dizer que se o armazenamento for correto assim como a monitorização devidamente monitorada, com pacotes íntegros e secos, poderíamos entender que o artigo esta esterilizado até o prazo de vencimento contido na embalagem original do papel grau cirúrgico. Entretanto temos que obedecer as recomendações da vigilância, que por não ter uma legislação harmônica, pode se basear em recomendações diversas.
      Espero ter ajudado você.
      Atenciosamente,
      Liliana

      Reply
  9. Renata
    Renata at |

    Boa noite.Não tenho papel grau cirúrgico,e preciso esterilizar gazes.Há alguma alternativa para isso?

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Renata
      Outras alternativas são mais onerosas que o papel grau cirúrgico. Qual embalagem você tem disponível?
      Liliana

      Reply
  10. Jussara Ribiro de Campos Nascimento
    Jussara Ribiro de Campos Nascimento at |

    Ola, gostaria de saber sobre o papel craft, tem artigos que dizem não ser mais recomendado e outros dizem que ainda é recomendado, trabalho em serviço publico, sempre usamos grau cirurgico lacrado com fita 3M com validade de 7 dias, mas os gestores querem mudar para papel craft devido custo, o que vc indicaria nesta situação? grata, Jussara

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Jussara
      Quando o artigo/produto for sujeito a registro na ANVISA, o serviço de saúde é obrigado a usar uma artigo com registro. É esse o caso, vamos explicar melhor, embalagem descartável para esterilização é um produto da saúde que tem obrigatoriedade de ter registro na ANVISA- no caso palpe grau cirúrgico. Se o serviço de saúde usar um produto equivalente sem registro, um papel grau cirúrgico não registrado ou papel kraft é considerado infração sanitária. Você pode argumentar dessa forma. Você pode dar outros exemplo om equipamentos ou medicamentos, é o mesmo caso.
      Espero ter ajudado você.
      Liliana

      Reply
  11. Nildiceli
    Nildiceli at |

    Liliana, tudo bem?
    Sempre leio o blog, pois muito tem me acrescentado.
    Minha dúvida é:
    Posso embalar o instrumental odontológico e deixar para esterilizar em outro momento? Se sim, quanto tempo ele pode ficar na embalagem grau cirurgico até que seja esterilizado?
    Obrigada,
    Nildiceli

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Nildiceli
      Bom dia! O
      Fico feliz que tenha ajudado você.
      Estou buscando essa informação, pois todo mundo teve essa dúvida ultimamente, mas ainda não encontrei uma resposta satisfatória!
      Embora a recomendação seja processar o mais rapidamente possível. Traduzindo, não creio que seja adequado deixar embalado para esterilizar na semana que vem, mas não sei o quanto impacta deixar para esterilizar no dia seguinte. Assim que eu tenha uma resposta vou publicar no BLOG.
      Abraços
      Liliana

      Reply
  12. Luciana
    Luciana at |

    Ola Dra Liliane
    Gostaria de saber se posso colocar o material em papel grau cirurgião e não esterilizar de imediato? se sim quanto tempo posso armazenar este material ate esterilizar ?

    Reply
  13. suelen furtado
    suelen furtado at |

    Olá Liliana, você poderia me tirar algumas dúvidas? O hospital que trabalho ainda não conseguimos realizar a validação do material estéril, nossas caixas são envolvidas em campo duplo de algodão, mas reduzimos a validade do nosso material para sete dias, eram de 15 dias, mas sem a validação não conseguimos permanecer com esse período, mesmo realizando a troca do envolucro, utilizando papel sms, poderia aumentar esse período? Poderia utilizar o grau cirúrgico mesmo para caixas?

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Suelen
      Internacionalmente o que é usual para prazo de validade é o que chamais de validade relacionada a evento ou evento relacionada. Isto é, se a autoclave foi validada, é monitorada, e o material sai seco e guardado em local adequando quanto à temperatura e umidade, o prazo de validade será o do papel grau cirúrgico (matéria prima usualmente 2 anos da fabricação), desde que permaneça íntegro e seco. Aqui no Brasil usa-se a validação como parâmetro e onde não se valida a vigilância normalmente aceita somente os sete dias. Por esse motivo não posso simplesmente falar para você que pode. Do ponto de vista esterilização e qualidade assegurada, você precisa garantir todo o processo, e se estiver bem armazenado (desse que o pacote esteja integro e seco) o manteriam irá se manter estéril. Porém, temos sempre que seguir a legislação. Você me fala que esta em um Hospital, então você tem que obedecer a RDC 15 que exige a validação do prazo.
      Espero que eu tenha ajudado você.
      Liliana

      Reply
  14. Fabio Guedes
    Fabio Guedes at |

    Gostaria de saber se são proibidas as fitas coloridas para marcação de instrumentais?

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Fabio
      Na verdade nao tem uma legislação que proíba especificamente o uso. Mas nas conferências que tenho participado voltado para a área hospitalar o seu uso tem sido contra-indicado por não permitir uma limpeza adequada.
      Atenciosamente,
      Liliana

      Reply
  15. fabio furtado
    fabio furtado at |

    Oi, podes me informar qual seria a maneira de eu validar os materiais autoclavados por mais tempo do que os 7 dias usuais?
    olhei o artigo da ANVISA – Serviços Odontológicos – Prevenção e Controle de Riscos
    e não tinha nada mais do que isso abaixo

    8.10. VALIDADE DA ESTERILIZAÇÃO
    Cada serviço deve realizar a validação do prazo de esterilização dos artigos, recorrendo
    a testes laboratoriais de esterilidade, considerando os tipos de embalagem
    utilizados, os métodos de esterilização, as condições de manuseio e os locais
    de armazenamento.

    Tens alguma fonte para que eu possa saber como validar esses materiais por mais tempo?

    Reply
  16. Alane
    Alane at |

    Olá Liliana. Estou mudando de assunto, mas gostaria de tirar uma dúvida com você. Existe algum problema em esterilizar em autoclave a vapor 364L material odontológico em caixas metálicas não perfuradas e sem tampa, ou seja, abertas? E há alguma norma técnica que esclareça melhor o assunto? Vi na RDC 15 que somente podem ser utilizadas caixas metálicas perfuradas, mas e nessa exceção de se ela estiver aberta?

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Alane
      Vamos lá…
      o 364 L significa que é uma autoclave com 364 litros, é isso?
      Independente do tamanho, nao se deve utilizar caixas não perfuradas ( mesmo abertas e embaladas em papel grau cirúrgico ou SMS, ou crepado). É exatamente contra essa atitude que se refere a RDC15. Não pode mesmo, isso porque prejudica a circulação de vapor que pode resultar em não esterilização, ou secagem que compromete a manutenção da esterilização.
      Atenciosamente
      Liliana

      Reply
      1. Alane
        Alane at |

        É, eu vi sim na RDC 15, mas como nao especifica esse detalhe de caixa aberta, e tambem é uma situacao que passo aqui no servico, queria tirar melhor a duvida, obrigada.

        Reply
        1. Liliana Donatelli
          Liliana Donatelli at |

          Alane
          Essa dúvida é bastante frequente, até porque há muitas caixas não perfuradas disponíveis nos serviços, e fica bem tentador usá-las. Por isso agradeço a oportunidade que você me deu para respondê-la. É um prazer.
          Abraços
          Liliana

          Reply
  17. Guilherme Abner Sousa Almeida
    Guilherme Abner Sousa Almeida at |

    Olá, gostaria de esclarecer uma dúvida. Na instituição a qual faço parte utilizamos embalagens de campo de algodão duplo, SMS e grau cirúrgico. Adotamos a validade de 7 dias para campo de algodão, 30 dias para SMS e 180 dias para grau cirúrgico. Com o objetivo de economizar o papel grau cirúrgico passamos a utilizar uma embalagem primária (vai em contato com o material) de campo de algodão e a secundária (vai em contato com a embalagem primária) de SMS com validade de esterilização de 30 dias no lugar de 2 folhas de papel SMS (a utilização de 1 folha rompe a embalagem com frequencia comprometendo a esterilização do material). Essa conduta é correta? Adotar o prazo de validade da embalagem secundária é correto mesmo tendo utilizado uma embalagem primária com duração de 7 dias?? Desde já agradeço!

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      OLá Guilherme.
      Entendo perfeitamente a necessidade de economizar recursos, mas para determinar prazos de validade é importante validar no serviço ( mesmo esses que você cita). Isso significa fazer testes para ver não somente a permanência da esterilidade, mas incluir dentro dos pacotes os indicadores químicos adequados, para garantir que a esterilização esta sendo obtida em cada pacote, se o vapor esta penetrando adequadamente. O padrão é utilizar duas folhas de SMS ou duas folhas de papel crepado ou campos de algodão duplos, mas nunca vi embalagens heterogêneas como você descreve.

      Sem fazer um estudo é complicado, mas supostamente a validade de um pacote misto não deve ser igual a do pacote com duas folhas de SMS, mas é só uma inferência, o certo é testar.

      A utilização de campos de algodão também é cara se você considerar o reprocessamento adequado, a troca de estoque ( e o controle de reprocessamento que é bem difícil…no máximo 65 vezes), pessoal para lavar, sabão, secagem, etc. São números que usualmente não são computados.
      Espero ter ajudado você de alguma forma. Um ótimo final de semana para você,
      Liliana

      Reply
  18. ELIANA DE ALMEIDA
    ELIANA DE ALMEIDA at |

    Gostei do achei ja me ajudou bastante obrigado

    Reply
  19. elizabeth alves dos santos martinp
    elizabeth alves dos santos martinp at |

    Uma pergunta o material conta da data esterelizada ou dia a seguir

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Ola Elizabeth

      Vamos dar um exemplo que fica mais fácil.
      Hoje é 12, +7= 19.
      Esclareceu?
      abraço Liliana

      Reply
  20. Nádia
    Nádia at |

    Boa Tarde!
    Eu assisti uma palestra, onde foi falado que não devia proteger as pontas dos instrumentos para realizar a esterilização porque comprometeria a esterilização.
    Gostaria muito de saber seu comentário.
    Obrigada.

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Nádia. Também concordo quando se trata de proteções plásticas ou ainda folhas de alumínio que são as mais comuns e que podem interferir na penetração de vapor, entretanto algodão ou gaze n!ao interfere nem compromete a esterilização.
      Que bom que você perguntou!
      Atenciosamente,

      Reply
  21. sara sousa mendes
    sara sousa mendes at |

    Ha hospitais em que 0 prazo de validade é de 15 dias
    O que me diz sobre isso?

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Sara
      Sim, perfeitamente possível.Como eu comentei noa trigo, é uma das alternativas, validar no serviço. O hospital faz um estudo para determinar o prazo de validade e hoje no Brasil, nos hospitais é regra de acordo com a RDC15.
      Atenciosamente,
      Liliana

      Reply
  22. Sirleni
    Sirleni at |

    Gostaria de saber qual tipo de embalagem secundária- plastica é essa citada?

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Sirleni.
      São embalagens de cobertura chamadas de “cover bag”. Aqui no Brasil ainda não são comuns. Na sua falta use as “zip” descartando após o uso. Veja que o procedimento só vale à pena, se o material for realmente delicado e você se preocupar com os repetidos reprocessamentos por prazo vencido. Caso contrário, como diria a minha avó, o molho fica mais caro que o peixe…
      Abraços

      Reply
  23. MarizaRosani dos Santos Hoffmann
    MarizaRosani dos Santos Hoffmann at |

    Ja li alguns trabalhos que dizem que o material esterilizado em grau cirurgico e primeiramento colocar em campo de algodão, dependendo das condições de ambiente pode ter validade de um ano, agora já escutei que vale somente 30dias, estou pensado numa recilclagem , me ajude.Att. Mariza Hoffmann

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Mariza
      O prazo de validade dos materiais esterilizados é muito controverso.
      Na própria legislação é citado o prazo de 7 dias e também para validar no serviço. Os trabalhos científicos apontam a validade como evento relacionada , esto é, se as condições de armazenamento forem adequadas, e se o pacote estiver íntegro e seco, é considerado estéril.
      Vamos aguardar as novidades que vem por aí.

      Reply
      1. Eulimar Sousa de Oliveira Santos
        Eulimar Sousa de Oliveira Santos at |

        Gostaria de saber qual a validade do artigo esterilizado em papel grau cirúrgico??

        Reply
        1. Liliana Donatelli
          Liliana Donatelli at |

          Eulimar. Conforme comentamos no post, a maioria das vigilâncias sanitárias tem considerado o prazo de 7 dias, mesmo em papel grau cirúrgico.

          Reply
  24. vicente
    vicente at |

    observando a secagem do material, em questão intra hospitalar, notou-se uma melhor seca do material com o papel virado para cima, pois é mais permeável que o plástico, portanto o vapor sai com mais facilidade. espero ter ajudado. muito bom o blog.

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      É isso mesmo Vicente. Obrigada por participar.
      Abraços

      Reply
  25. Fátima Ribeiro
    Fátima Ribeiro at |

    Olá, adoro o blog. Sou CD e Profª de curso para ASB. Sempre orientei que o pacote fosse colocado para baixo na autoclave mas tenho visto alguns artigos e posts recomendando o contrário. Você teria fonte para embasar a posição correta? Agradeço, desde já.

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Fátima . Boa noite.
      A primeira recomendação que eu vi foi de uma fábrica de papel grau cirúrgico, antes de nós fabricarmos. Então resolvemos testar na fábrica. E foi melhor.
      O importante é deixar circular adequadamente.Se os pacotes estiverem em pé ( em autoclaves pequena sem suportes não é possível), também fica bom. Por isso fizemos o suporte.
      Não tenho um trabalho científico para recomendar. Foi mesmo na prática. Papel para cima e plástico para baixo.

      Reply
      1. Fátima Ribeiro
        Fátima Ribeiro at |

        Obrigado, Liliana. Continuemos em busca do melhor e mais seguro para os pacientes. Se eu souber de alguma novidade sobre este assunto envio para ver sua opinião.

        Reply
  26. Claudia
    Claudia at |

    Por que a Anvisa somente fiscaliza alguns lugares e não outros? Por que onde a Anvisa não vai infelizmente é onde comentem maior erro de esterilização, armazenagem de materiais.

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Claudia, vejo que você esta mesmo aflita.Quem faz a fiscalização usualmente não é a ANVISA (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária), mas as vigilâncias municipais e estaduais, dependendo do nível de complexidade do estabelecimento. Mas a sua reclamação procede. Isso porque não há fiscais suficientes. Mas se você esta vendo alguma coisa grave, telefone e faça uma denúncia (que pode ser anônima) e eles serão obrigados a verificar.Esteja certa que o pessoal da vigilância faz muito e enfrentam desafios incríveis, inclusive políticos para exercer o seu trabalho.Fique à vontade para entrar em contato sempre que quiser.

      Reply
  27. Claudia
    Claudia at |

    Onde encontrar cursos que atualizam os profissões para que não haja o vício de continuar imitando os erros antigos dos hospitais, dos centros de saúde? Pelo que vejo, nos hospitais infelizmente a maioria não tem um curso específico e os conhecimentos são passados pelos profissionais que estão trabalhando nesta área de esterilização há muitos anos e transmitem seu conhecimento aos novos profissionais. O que fazer neste caso?
    Obrigada pela atenção!!!

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Bom dia Claudia. Há cursos por todos o Brasil, nível técnico, educação continuada, pós graduação, para todo o gosto. EM São Paulo te o de nível técnico da APECIH que é muito bom. A nível de pós-graduação tem os do Dr Antonio Tadeu Fernandes da FAMESP, que tem em todo o Brasil. Há também cursos on-line, o TSPV, Biossegurança Hospitalar. Enfim. Cursos não faltam. O que é preciso é condições físicas, financeira e vontade para cursá-los. O serviço de saúde deve proporcionar educação continuada durante o horário de trabalho de acordo com a NR32.Essa fiscalização é do Ministério do Trabalho. Também concordo que precisa reciclar. Mas a gestão do trabalho e complexa, e muitas vezes a CME é vista como um serviço menos importante ( ??!!!) . Infelizmente. Mas creio que com os indicadores de qualidade e a maior importância da CCIH, automaticamente a CME passará por uma maior valorização.Tomara!

      Reply
  28. JB
    JB at |

    MUITO BOM E ESCLARECEDOR. ACHO QUE DEVERÍAMOS ENCONTRAR UM MÉTODO DE ARMAZENAR POR MAIS TEMPO E QUE SEJA MAIS EM CONTA. HOJE EM DIA OS CUSTOS COM BIOSEGURANÇA EXTRAPOLARAM SOBREMANEIRA. UM JOVEM DENTISTA TEM QUE GASTAR MUITO PARA INICIAR O TRABALHO. ACHO JUSTÍSSIMO AS TÉCNICAS DE BIOSEGURANÇA, MAS EXTREMAMENTE ONEROSAS.

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      É bastante complexo toda a questão profissional na odontologia. Um dentista para montar um consultório, precisa além do equipamento odontológico em si, outros aparelhos e instrumentos, além de todo o investimento na sua formação. Ao longo dos anos essa gama de equipamentos se modificou, assim como os seus preços. Uns se tornaram mais acessíveis, como o próprio equipo, câmeras intra-orais, computadores, luvas e papel grau-cirúrgico, e até mesmo as autoclaves.
      Houve um incremento quanto às exigências legais (onde se inclui os cuidados em biossegurança)e encargos trabalhistas impactando no custo dos tratamentos odontológicos, tornando-os mais caros. Essas alterações foram fruto transformações da própria sociedade, do consumidor que esta cada vez mais atento e do trabalhador que reconhece seus direitos.
      Mais do que nunca é importante que as faculdades de odontologia proporcionem além do conhecimento espeçífico, formação em administração para dar mais ferramentas aos futuros dentistas que garantam retorno financeiro na profissão.
      Reconheço que não é fácil, mas estamos nisso juntos para proporcionar saúde, segurança e prosperidade.
      Abraços e sucesso!

      Reply
      1. Fátima Ribeiro
        Fátima Ribeiro at |

        Quando nos formamos em odonto e montamos um consultório nos tornamos Responsáveis Técnicos do mesmo. Isto inclui arcar com atualização de conhecimentos também sobre biossegurança e segurança do paciente. E é um serviço de alto custo mesmo. O Código Civil e o do Consumidor são claros quanto à nossa responsabilidade. Nem só de boca é feita a odontologia…somos profissionais responsáveis pelo todo do consultório, não apenas dos procedimentos odontológicos.

        Reply
  29. MARIANA
    MARIANA at |

    BOA TARDE LILIANA,
    POSSUO UMA AUTOCLAVE VITALE PLUS 21. JA LI NO MANUAL E NOVAMENTE LI NESTE POST QUE O MINISTÉRIO DA SAÚDE, VIGILÂNCIA SANITÁRIA E ANVISA ESTIPULAM O PRAZO DE VALIDADE DE ESTERILIZAÇÃO POR VAPOR O PRAZO DE 7 DIAS. GOSTARIA QUE ME MANDASSE O LINK DESSAS PUBLICAÇÕES QUE EMBASAM O POST!
    DESDE JÁ AGRADEÇO A ATENÇÃO,
    MARIANA SILVA

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Mariana
      PAra maior facilidade inclui no post as referências com os documentos para serem acessados. Muito obrigada por participar. Assim a gente vai melhorando a cada dia!

      Reply
  30. veronica
    veronica at |

    como valida corretamente uma validade de 7 dias ex: 12/07/2012 validade ate 18/07/2012 ou dia 19/07/2012

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Verônica. O raciocínio é o mesmo do anterior. 12+7=19.Portanto 19/07.
      abraços

      Reply
  31. Homero Sena
    Homero Sena at |

    Boa tarde!
    Gostaria de saber quanto a reutilização de embalagem
    do grau cirurgico, pois percebo que em alguns consultórios
    odontológico estão sendo utilizando esta prática. Qual a
    legislação que mensiona tal proibição?
    Grato,
    Homero Sena

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Homero. Isso realmente acontece.Por falta de informação, por imitação, e até por achar que não vai prejudicar ninguém…Falta de punição, enfim, não tem desculpa.

      Errado e proibido. A RE 2605 (ANVISA) de 2006, traz a lista de artigos cujo reprocessamento é proibido. Item 28.

      Uma boa noite para você.
      Liliana

      Reply
  32. Edgar
    Edgar at |

    Olá. Muito interessante o seu post.
    Pelo que pude entender existe um teste feito no material esterilizado para comprovar a esterilidade após um determinado período, certo? Como é feito o teste? Sabe me dizer onde encontro pessoal que faz? Desde já agradeço a atenção. Ass: Edgar.

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Edgar.
      Sim é um teste de esterilidade. Não é feito com frequência, porque você não vai poder usar o pacote. Você pode me dizer que o biológico também não dá… Porém com o teste biológico você vai ter uma confiabilidade muito maior porque a população inicial é enorme e com bactérias altamente resistentes. Laboratórios de de microbiologia fazem. Não é muito difícil, basta ter a estrutura para que não contamine a amostra a ser estudada.
      Abraços
      Liliana

      Reply
  33. veronica
    veronica at |

    gostaria de esclarecimentos quanto a data de validade por autocalve em relação a data de validade de 7 dias onde um material que e esterilizado no dia 07/o7/12 com validade até 13/07/12 ou seria no dia 14/07/12 gostaria de um esclarecimento. agradeço desde já pela atenção.

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Olá Verônica
      Você considera 7+7=14.
      Verifique se o pacote esta íntegro e seco, desde a hora que sai da autoclave até o momento da utilização. As condições de armazenamento são fundamentais para a manutenção da esterilização.A tendência hoje é validar no serviço.Porém para serviços de pequeno fica difícil, então o que se adota é um prazo de validade bem curto .

      Reply
  34. Tatiane de Matos
    Tatiane de Matos at |

    Bom dia,

    Estamos em época de austeridade na empresa e não temos uma grande rotatividade dos materiais odontológicos.Levandoem consideração o prazo de 7 dias como validade dos pacotes, acabamos trocando os pacotes com muita frequência.
    Em pesquisa vi que existe a possibilidade de uma embalagem secundária que assegura a validade por 30 dias, como seria essa embalagem secundária?
    Onde adquirir?De que material é feita?

    Fico no aguardo destas informações.
    Obrigada

    EnfºTatiane de Matos
    Enfermeira RT

    Reply
    1. Liliana Donatelli
      Liliana Donatelli at |

      Bom dia Tatiane
      Aqui no Brasil não temos especificamente uma embalagem própria para esta situação.Nos Estados Unidos são chamadas de cover bags. São plásticas e com uma gramatura intermediária (desculpe não tenho a informação precisa) e auto-selantes. A idéia é impedir a violação do papel grau cirúrgico e dificultar a contaminação do material.
      O que indicamos na falta de uma embalagem feita para esta finalidade, como ela não entrará diretamente em contato com o material, usar uma embalagem plástico/plástico selada com seladora (cuidado porque a maioria das seladoras que sela papel grau cirúrgico não sela plástico/plástico), com qualidade no mínimo alimentar. Porém este procedimento só poderá ser feito, depois que o material sair da autoclave e estiver completamente resfriado.
      Espero ter ajudado você.
      Abraços
      Liliana

      Reply
  35. Wilton Serrano
    Wilton Serrano at |

    Olá, gostaria de saber mais sobre o plástico PP (polipropileno) no processo de esterilização e o prazo de validade dos material que foi acondicionado. O papel grau cirúrgico também tem validade de cerca de 7 a 30 dias?

    Estamos fazendo tudo errado então e estão nos passando tudo errado!!!!

    Reply
    1. liliana
      liliana at |

      Achei tão interessante a sua pergunta que estou preparando um post para publicar sobre o assunto. Só para adiantar um pouco, acho importante ressaltar que as improvisações de embalagens para acondicionar produtos de saúde a serem esterilizados são inadequadas. Isso porque mesmo que se coloque um indicador biológico dentro dela,se aprovado sabemos que o conteúdo foi esterilizado, e que o vapor penetra, não sabemos se a esterilidade será mantida, nem que a embalagem é atóxica nestas condições.É muito comum utilizar embalagens aprovadas para alimentos, mas as condições de trabalho são muito distintas. A temperatura é bem diferente. Com relação à validade, sete dias, salvo o que foi dito no post- validação ou proteção- desde que a embalagem esteja íntegra e seca armazenado em ambiente adequado.

      Reply
      1. Wilton Serrano
        Wilton Serrano at |

        Bem, também acredito queimprovisações neste cas nã são bem-vindas, mas esse material nos foi passado por uma professora da especialização e a universidade onde estudei começou a fazer uso deste mesmo material, por isso minha grande dúvida quanto ao polipropileno.
        Abraços e grato pela resposta.

        Reply

Deixe uma resposta