Você sabe o que é um produto químico perigoso?

Produtos químicos perigosos:  um produto químico é dito perigoso quando pode causar danos para a segurança, a saúde e/ou meio ambiente e tem como critério de classificação a norma ABNT 14725- 1 que trata desse assunto.

O produto químico por sua vez pode ser uma substância pura ou uma mistura de substâncias que não reagem entre si.

A Biossegurança também trata desses riscos já que o manuseio incorreto de substâncias pode comprometer a saúde do homem dos animais do meio ambiente e a qualidade dos trabalhos desenvolvidos. Veja mais sobre Biossegurança aqui .

Foi criada uma convenção para tratar dos produtos químicos perigosos e seu gerenciamento, fornecendo informações para as pessoas que utilizam tais produtos, prevenindo danos à sua saúde e ao do meio ambiente. Para isso foram deselvolvidos símbolos de advertência e classificações mundialmente harmonizadas, pelo Sistema Globalmente Harmonizado (GHS) de informação de segurança de produtos químicos perigosos. Assim fica mais fácil identificar o perigo, prevenir riscos, e em caso de um acidente, quais medidas devem ser tomadas.

Quais são os produtos químicos perigosos que estão presentes em consultórios odontológicos?

Como saber se um produto químico é perigoso ou não? O que fazer em caso de acidente? O que muitas pessoas não sabem é que existem regras para o manuseio desse produtos e que todas as fichas de informações de segurança para produtos químicos (FISPQ) devem  estar guardadas e organizadas em local de fácil acesso por todos. E, claro, todos os profissionais devem saber onde encontrá-las! Além disso, é muito importante fazer um treinamento para manuseio seguro desses produtos, e ter um protocolo para uma eventual exposição.

Conheça alguns produtos químicos perigosos de uso comum na odontologia e no processamento de artigos:

Área Clínica

Processamento de Artigos:

Quer colaborar? Mande as FISPQ e o produto que incluiremos aqui.

O que é uma FISPQ?

Como foi dito no parágrafo anterior a FISPQ é  a ficha de informações de segurança para produtos químicos, e deve acompanhar cada produto químico adquirido. Mais um motivo para fugir de produtos “alternativos” (no sentido de sem registro na ANVISA ou órgãos competentes). Todo fabricante tem por obrigação tornar disponível as FISPQ para o usuário.

Entenda a FISPQ

A FISPQ deve acompanhar todos os produtos químicos considerados como perigosos de acordo com a  classificação GHS. Além disso o rótulo do produto deve conter:

 Rótulo do Produto Químico  Seção da ABNT 1425-3

Identificação do produto e telefone de emergência do fornecedor

Seção 1 – Identificação do produto e da empresa

Composição química

Seção 3 – Composição e informação sobre os ingredientes

Pictograma de perigo

Seção 2 – Identificação dos perigos Seção 14 – Informações sobre transporte

Palavra de advertência

Seção 2 – Identificação dos perigos

Frase de perigo

Seção 2 – Identificação dos perigos

Frases de precaução

Seção 2 – Identificação dos perigos

Outras informações

Quaisquer outras informações disponíveis na FISPQ não citadas anteriormente

 O que sao palavras de advertência?

Estão relacionadas com a gravidade do perigo, no caso de exposição e possuem regras de uso estabelecidas na NBR 14725-3

Perigo > Atenção

Frases de perigo – especifica a consequência em determinada situação. Da mesma forma, possui regras para utilização (Listadas na NBR 14725-3 cerca de 70 frases) Veja alguns exempls de frase de advertência:

  • Em contato com a água desprende gases inflamáveis que podem inflamar-se espontaneamente
  • Pode ser fatal se ingerido e penetrar nas vias respiratórias
  • Tóxico para os organismos aquáticos, com efeitos prolongados

Frases de precaução: incluem:

  • Recomendações para uso – Leia o rótulo antes de utilizar o produto, Não pulverize sobre chama aberta ou outra fonte de ignição
  • Recomendações em cada caso de exposição, EM CASO DE exposição ou suspeita de exposição 
  • Recomendações de armazenamento- Armazene em local fechado à chave
  • Disposição (descarte) – Descarte o conteúdo/recipiente em

Como o perigo é calculado?

O perigo é calculado com base nas vias de exposição (oral, dérmica, gases, vapores, poeiras/névoas)

– O mais perigoso é a categoria 1, decrescente até a categoria 5, sendo que a categoria 5 é a mais baixa para toxicidade aguda, mas que em certas circunstâncias podem representar riscos para populações vulneráveis.

Conheça alguns termos utilizados na NBR 14725-1 ( veja a norma na íntegra)

Classe de perigo:

Natureza do perigo físico, à saúde ou ao meio ambiente

Controle de exposição:

Medidas preventivas para proteção humana à exposição de produto químico

corrosivo cutâneo:

Corrosivo para a pele material-teste que produz destruição de tecido da pele, chamada de necrose visível através da epiderme e dentro da derme, em pelo menos um de três animais ensaiados após uma exposição de até 4 h de duração

Dano:

Lesão física e/ou prejuízo à saúde, ao meio ambiente ou à propriedade

Efeito sinérgico:

Efeito quantitativamente maior que a soma dos efeitos produzidos individualmente de dois ou mais agentes tóxicos

Explosivos instáveis:

Explosivos termicamente instáveis e/ou muito sensíveis para manuseio, transporte e usos normais

Gás inflamável:

Gás que se inflama com o ar a 20 °C e a uma pressão de referência de 101,3 kPa

Gás oxidante: 

Gás que, geralmente por fornecer oxigênio, causa ou contribui, mais do que o ar, para a combustão de outro material

Irritação cutânea:

Formação de lesão reversível da pele como conseqüência da aplicação de um produto durante um período de ensaio de até 4 h

Limite de exposição ocupacional:

Concentração ou intensidade máxima ou mínima, relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente, que não causará dano à saúde do trabalhador, durante a sua vida laboral. O mesmo que “limite de tolerância”

Perigo:

Fonte potencial de dano e característica intrínseca de um produto

IMAGEM PICTOGRAMAS

Produtos Químicos Perigosos

Pictograma:

Composição gráfica com a qual se pretende transmitir informação específica de perigo ou de segurança

NOTA Todo pictograma de perigo compreende um símbolo inserido num quadrado apoiado sobre um dos seus vértices. O pictograma de segurança não tem padrão definido.

Risco: 

Probabilidade de ocorrência de perigos que causem danos

Dose letal Mediana – Um outro termo importante!

Por exemplo para via oral:

DL50 – É a dose necessária de um dado produto químico necessário para matar 50% da população teste de referência. Determina a sua toxicidade.

As medianas são também utilizadas  para mutagenicidade, carcinogenicidade, entre outros testes conduzidos e ensaios interncaionais padronizados. Baseados nesses e outros elementos que sao definidas as classes  de perigo e o seu grau.

Conclusão Sobre os Produtos Químicos Perigosos presentes em consultórios odontológicos:

Agora que você ficou sabendo mais sobre produtos químicos perigosos, faça uma inspeção no seu consultorio e organize as FISPQ. Reúna a sua equipe e elabore um treinamento sobre os produtos químicos mais comuns e as providências em caso de exposição. Bom, eu já fiz uma parte da lição de casa. Mas se você usa outras marcas comerciais, tem que procurar as FISPQ correspondentes.

Abra os links dosc produtos usados na clinca e você vai se assustar- vários podem causar lesão ocular grave! Mais um motivo para o uso de óculos de proteção para todos os pacientes em todos os procedimentos. E óbvio, para todos da equipe de saúde bucal!

Liliana Junqueira de P. Donatelli

 

 

Autor

Bióloga, Mestre em Saúde Coletiva, Coordenadora do Projeto Biossegurança em Odontologia, e mais recentemente do Projeto Biossegurança Beauty& Body Art, ambos patrocinados pela Cristófoli. Já ministrou mais de 500 palestras sobre o tema Biossegurança em Saúde e participa ativamente de entidades dedicadas ao Controle de Infecção em Saúde e Interesse à Saúde. É consultora em Biossegurança em Saúde da Cristófoli.

1 Comentário

  1. Pingback: Setembro - Mês da Consciência sobre o Controle de Infecção em Odontologia - Blog Biossegurança | Cristófoli

Deixe uma resposta