Blog Biossegurança | Cristófoli

Blog Biossegurança | Cristófoli

Blog Biossegurança | Cristófoli

Apresentação da Empresa Fundada em 1991, a Cristófoli Equipamentos de Biossegurança é empresa líder em vendas de autoclaves de mesa no mercado nacional, já fabricou mais de 240 mil autoclaves para o Brasil e para mais de 30 países para onde exporta parte de sua produção. Os equipamentos fabricados pela Cristófoli são altamente funcionais, combinando tecnologia, design e sistemas diferenciados para atender cada vez melhor os seus clientes. Administrada pela família Cristófoli, tem sua sede na Rodovia BR-158, nº 127, em Campo Mourão, Paraná, Brasil. Fabricante e importadora de produtos para a saúde, a empresa tem vários diferenciais que a fazem uma das melhores do Brasil. Visão Ser referência mundial na área de saúde por crescer com criatividade, lucratividade e respeito às pessoas. Missão "Desenvolver soluções inovadoras para proteger a vida e promover a saúde". Histórico A Cristófoli se destaca por sua criatividade e inovação que há mais de 20 anos ajuda a construir a nossa história com invenções e produtos revolucionários para proteger a vida e promover a saúde. Certificações A conquista de um certificado é a aprovação para um sistema de gestão baseado em normas internacionais. É uma moderna ferramenta de administração e marketing que atesta a eficiência da empresa em determinada área para seus acionistas, clientes e mercado. Entretanto, para que uma empresa possa ser certificada, primeiramente um sistema de gestão deve ser implantado. Um sistema de gestão normatizado é a ferramenta mais moderna que existe para administrar informações, processos e pessoas envolvidas com uma ou mais atividades da empresa visando aumentar efetivamente sua eficiência. Clique nos certificados para visualizá-los. CERTIFICAÇÃO ISO 13485:2004 TUV MINISTÉRIO DA SAÚDE: AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DA EMPRESA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO MOURÃO: ALVARÁ DE LICENÇA LICENÇA SANITÁRIA E DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ: LICENÇA DE OPERAÇÃO CERTIFICADO DE REGISTRO ANVISA - EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO CERTIFICADO DE REGISTRO ANVISA - EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO - 10363350016 CERTIFICADO DE REGISTRO ANVISA - AUTOCLAVES CERTIFICADO DE REGISTRO ANVISA - CUBA DE ULTRASSOM Fundação Educere A Fundação Educere é um Centro de Pesquisas e Desenvolvimento na área de biotecnologia, cujo foco principal é a incubação de empresas a partir de um projeto social inovador que atua na formação de jovens com potencial empreendedor. A instituição fornece suporte para o desenvolvimento de novos negócios voltados para a difusão e transferência de tecnologia na área biomédica, e é referência em pesquisa e desenvolvimento de produtos inovadores e que agregam valor tecnológico, que estão presentes em todo o território nacional e em diversos países da América, Ásia e Europa. Visão Tornar Campo Mourão referência em pesquisa e desenvolvimento de produtos de saúde. Missão Descobrir e potencializar novos talentos para desenvolver um mundo melhor.

Febre Amarela

O médico infectologista Marcelo Pesce volta ao Blog Biossegurança para falar mais sobre o assunto e explicar o porquê da introdução da vacina fracionada no sistema único de saúde.

1- Existe realmente um surto de febre amarela no Brasil nesse momento?

Dr Marcelo responde: Sim , existe um surto de febre amarela silvestre, atingindo principalmente estados da região sudeste . Os dados são atualizados à medida que novos casos surgem, portanto o panorama epidemiológico pode alterar-se a qualquer momento.

2- Por que é importante que as pessoas se vacinem?

Dr Marcelo responde: A vacinação é recomendada para proteger as populações que estão  mais próximas às áreas de risco, aos  que se dirigem a áreas em que há evidências de circulação viral – mortes de primatas não humanos –  para  evitar que a febre amarela chegue à área urbana .

3 – A febre amarela é realmente uma doença grave?

Dr Marcelo responde:Febre amarela é doença grave, com índice de mortalidade elevado,  em torno de 40%.

4 – Está havendo um exagero da mídia em relação aos casos no Brasil?

Dr Marcelo responde: Os casos são de notificação obrigatória, e os dados estão disponíveis a todos . Não há exagero. É muito importante que a população siga as orientações das autoridades sanitárias para evitar pânico,  e que os melhores e mais seguros procedimentos sejam garantidos a todos.

5- Em relação às doses fracionadas, quais as evidências científicas em relação a esse procedimento?

Dr Marcelo responde: As doses fracionadas têm eficácia comprovada, elas não têm duração tão longa quanto a dose completa, mas resolvem para controlar o surto,  que é o mais importante e o que se pretende no momento .

Obs: Veja o Artigo comprovando a eficácia

6- Por que o Ministério da Saúde não oferece a dose convencional?

Dr Marcelo responde: A produção da vacina contra febre amarela é um processo longo,  e o fracionamento das doses é um método seguro e eficaz de aumentar  rapidamente,  em até cinco vezes a disponibilidade da vacina .

7- Quem não deve tomar a vacina?

Dr Marcelo responde: Alérgicos a ovos, menores de 9 meses de idade, gestantes e nutrizes.  Portadores de imunodeficiência congênita ou adquirida por várias causas, não devem receber a vacina sem que sejam avaliados pelo médico assistente.

Pessoas acima de 60 anos têm risco maior de complicação  pela vacina à medida que a idade avança . Não há contraindicação para os que têm mais de 60 anos, mas sim a necessidade de avaliação  mais criteriosa dos riscos e benefícios de ser vacinado, pois a incidência de complicações pela vacina aumenta com o passar da idade (acima dos 60 anos) . A incidência é de 2,2 casos de doença neurológica relacionada à vacina para 100.000 doses aplicadas, e de 1,2 casos febre amarela induzida pela vacina para 100.000 doses aplicadas . Obviamente o risco é maior quanto mais idoso (a) for o(a) paciente .
Só lembrando que é uma vacina produzida com vírus vivos e atenuados de febre amarela. Para algumas pessoas, como as citadas acima, o vírus da vacina pode ser forte o suficiente para provocar  febre amarela vacinal.
Se houver dúvida quanto a ser vacinado ou não, contacte seu médico assistente.

 

8- Existe algum paciente que deve tomar a dose convencional ao invés da dose fracionada? A dose convencional está disponível na rede pública?

Dr Marcelo responde: Para se dirigir a alguns destinos internacionais é necessário apresentar o CIVP  (certificado internacional de vacinação e profilaxia), que documenta que o viajante está vacinado contra febre amarela , portanto sem risco de estar portador da doença . Esse certificado só é emitido quando a dose plena / completa da vacina é aplicada. A dose completa  da vacina está disponível na rede pública , aos viajantes cujos destinos solicitam que estejam vacinados. Vale lembrar que se alguém receber a dose fracionada e decidir viajar, deve aguardar 30 dias entre uma aplicação  e  outra .

Agradecemos Dr Marcelo por compartilhar conosco o seu conhecimento. Muito importante, em especial nesse momento no qual o Brasil atravessa um surto da doença que tem uma alta letalidade. Infelizmente recebo todos os dias veiculação de notícias sem fundamanento científico e que só prejudicam a população. Nós como profissionais da saúde temos a obrigação de verificar a veracidade a ajudar a divulgar os fatos baseados em evidências.

Liliana Junqueira de P. Donatelli

A revista Veja da Abbil publicou uma interessante matéria sobre o tema que vale à pena ser lida por todos aqueles que se interessam pelo assunto:

Febre amarela: as principais dúvidas sobre a doença

 

Mais sobre febre amarela no Blog Biossegurança:

Vacina contra Febre Amarela – Tomar ou não tomar?

Febre Amarela: Como viajar tranquilo no feriado

Febre Amarela: Como viajar tranquilo no feriado

Autor

Bióloga, Mestre em Saúde Coletiva, Coordenadora do Projeto Biossegurança em Odontologia, e mais recentemente do Projeto Biossegurança Beauty& Body Art, ambos patrocinados pela Cristófoli. Já ministrou mais de 500 palestras sobre o tema Biossegurança em Saúde e participa ativamente de entidades dedicadas ao Controle de Infecção em Saúde e Interesse à Saúde. É consultora em Biossegurança em Saúde da Cristófoli.

2 Comentários

  1. Lilian Calife Reponder

    Gostaria de saber qual o número de dias normalmente para a imunização da dose fracionada ?


    • OLá Lilian
      Entrei em contato com o Dr. Marcelo que informou que o tempo para imunização é semelhante ao da vacina convecional para febre amarela, ou seja 10 dias.
      Liliana

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.