Plástico – um conhecido poluente

Que o plástico é um poluente não é nenhum novidade. Infelizmente somos muito comodistas e o plástico sem dúvida trouxe muito conforto e praticidade. Vivemos a era do plástico. Embalagens e sobre-embalagens e o mundo todo descartável: canudos, copos, fraldas, absorventes higiênicos, garrafas, sacolas, embalagens para esterilização, frascos para remédios, bolsas plásticas para medicamentos, seringas e mais uma infinidade de itens. Sacolas plásticas sufocando tartarugas, canudinhos entrando nas narinas de golfinhos são alguns exemplos dos muitos danos causados pelos plásticos no meio ambiente. E as microesferas de plástico, você já ouviu falar?

Microesferas – o plástico que você não vê

São pequenas partículas de plástico adicionadas a produtos de cuidado pessoal. Geralmente em esfoliantes para pele ou cremes dentais. O termo microesferas foi introduzido pela própria indústria de cosméticos e se refere principalmente a Polietileno (PE).

  • cremes dentais
  • esfoliantes
  • cosméticos como sombras e blush
  • sabonetes

Microplástico e microesferas de plástico – qual a diferença?

Ativistas que combatem a poluição causada por resíduos de plásticos provenientes de cosméticos tratam todo o material como microesferas de plástico embora podem ser considerados um pouco diferentes em sua origem: polietileno, politetrafluoretileno, polimetil metacrilato e nylon. Mas o prejuízo para a vida marinha (e a nossa) é similar. Veja a lista de substâncias consideradas como ingredientes de microplástico: BeatTheMicrobeat-List

Qual é o problema das microesferas de plástico no mar?

As pequenas partículas de plástico vão se acumulando na cadeia alimentar e ao mesmo tempo carregando outros poluentes tóxicos. que afetam a vida marinha. Como o homem está no topo da cadeia alimentar acaba sofrendo as consequências do seu descaso com o meio ambiente. E, na verdade, essas partículas de plástico estão em todo o lugar, inclusive na água da torneira. Uma análise demonstrou que está presente em 2/3 das pessoas.

São considerados tóxicos quando usados diretamente pelo homem?

A indústria dos cosméticos diz que não. Porém como são partículas muito pequenas podem ser absorvidas pela pele e como microingredientes carregar elementos tóxicos junto.

Microesferas de plástico na pasta de dente

Houve uma polêmica em 2014 quando uma higienista dental nos Estados Unidos começou a encontrar pequenas áreas azuis nas gengivas dos pacientes. Todos os pacientes utilizavam o mesmo creme dental. A ADA (American Dental Association) se pronunciou a favor da indústria alegando não haver comprovação de que a presença das microesferas era prejudicial à saúde. Ainda assim a indústria prometeu retirar as microesferas do produto. Alguns cirurgiões-dentistas contra argumentaram alegando que o plástico retém bactérias junto à gengiva, o que pode levar à doença periodontal.

Recentemente o Reino Unido baniu as microesferas dos produtos cosméticos  em seu território, incluindo os cremes dentais, mas isso não deve acontecer até os meados de 2018.

Microesferas de plástico no glitter polui o mar

É carnaval, e agora? Glitter ecológico!

Vendo todas as coisas que tem microesferas de plástico e microplástico e me deparei com o Carnaval chegando. Para os que querem curtir com muito brilho ai vão algumas sugestões do site da Dani Noce : 10 marcas para quem quer pular o carnaval com brilho ecológico (também sou fã nos doces dela).

Para quem procura saber se os seus produtos tem microesferas, já existe aplicativo de celular para te ajudar nessa missão! A única desvantagem é que ele possui poucas marcas brasileiras, mas você pode ajudar a construir o banco de dados ao acrescentar produtos:  do site Beat the Microbead

Apple Store  ou Google Play

 

Quer diminuir seu impacto ambiental? 8 R

Eu sei, não é fácil! Estamos habituados a uma vida mais prática que inclui muito plástico e descartáveis.

Mas se não conseguimos eliminar todo o plástico de nossas vidas, podemos pelo menos diminuir um pouco a pegada…

Reciclar, Reusar, Reduzir são os 3 R convencionais para a sustentabilidade. Mas encontrei mais 5 (muito legal do site armário orgânico)

Repensar- Será mesmo que eu preciso consumir isso? Preciso comprar mais um disso? O consumo exagerado é um dos maiores responsáveis pela degradação do ambiente.

Recusar : panfletos que  não são do seu interesse, copos descartáveis e empresas que não respeitam os trabalhadores e meio ambiente.

Respeitar: As outras pessoas e o meio ambiente

Responsabilizar-se: Pelos seus atos em relação ao impacto que você causa no meio ambiente. Cuide! Seja responsável pela sua rua, seu bairro sua cidade.

Repassar: Compartilhe com seus amigos. Seja uma inspiração.

Em alguns aspectos , os hábitos sustentáveis são muito parecidos com a prática da Biossegurança,  não custam nada, mas exigem atitude!

Bom, se você leu até aqui… já esta cheio de atitude. Coloque em prática!

Liliana Junqueira de P. Donatelli

 

 

 

 

Autor

Bióloga, Mestre em Saúde Coletiva, Coordenadora do Projeto Biossegurança em Odontologia, e mais recentemente do Projeto Biossegurança Beauty& Body Art, ambos patrocinados pela Cristófoli. Já ministrou mais de 500 palestras sobre o tema Biossegurança em Saúde e participa ativamente de entidades dedicadas ao Controle de Infecção em Saúde e Interesse à Saúde. É consultora em Biossegurança em Saúde da Cristófoli.

Deixe uma resposta